12°C 27°C
Vespasiano, MG
Publicidade

Vereadores querem CPI para apurar denúncias de assédio e abuso sexual na Prefeitura

Cinco vereadores assinaram o pedido da “CPI do abuso sexual”. A vereadora Tia Jú única mulher do legislativo ainda não assinou

25/06/2024 às 17h32 Atualizada em 25/06/2024 às 18h05
Por: Redação
Compartilhe:
Vereador Ederaldo Boffo protocolou o pedido de abertura de CPI
Vereador Ederaldo Boffo protocolou o pedido de abertura de CPI

Após uma tumultuada Reunião Plenária da Câmara Municipal de Vespasiano, cinco vereadores protocolaram o pedido de abertura de CPI – Comissão Parlamentar de Inquérito. A comissão tem o objetivo de investigar as denúncias de assédio e abuso sexual e moral praticadas pelo Secretário Municipal de Defesa Social William Soares. Um grupo de mulheres foi hoje a Câmara para protestar e cobrar providências das autoridades locais. Assinaram a favor da abertura da CPI os vereadores: Ederaldo Boffo, Marcelino Té, Tonhão, Elsón Prado e Oziel. Para a abertura é necessário 2/3 dos parlamentares, o que corresponde a seis vereadores. A parlamentar Tia Jú, única mulher na casa foi procurada, mas ainda não assinou o requerimento e não justificou sua decisão.

A reunião da Câmara Municipal desta terça-feira foi encerrada pelo presidente da casa, Felipe Caldeira, antes que a líder do movimento das mulheres, a ex-perita da Polícia Civil Tatiane Albergaria pudesse usar a tribuna para falar das constantes denúncias que estão sendo feitas pelas funcionárias da Secretaria de Defesa Social de Vespasiano. Ao todo são oito mulheres que podem ter sido assediadas.

A líder do movimento desabafou: “É isso que estamos sofrendo há anos. Os intermináveis abusos e o silêncio e a omissão de quem deveria nos proteger, mas a luta continua e não vamos parar por aqui. Vamos nos apoiar e denunciar todos os abusadores”, afirmou Tatiane.

Vereadores que não assinaram:

Tia Jú
Carvalho
Felipe Caldeira
Leo da Ambulância 
Oseias Silva
Irmão Josué 
Jó Queiroz
Andres Vercesi
Dorivaldo
Edimar
Roberto Durães
Dinei

Entenda o caso:

William Soares, Secretário Municipal de Defesa Social vem sendo acusado por funcionárias da secretaria por assédio e abuso sexual e moral dentro do ambiente de trabalho. Ele teria agarrado pela cintura uma funcionária, mordido seus seios e a chamado de burra. Já são oito denúncias contra ele na Delegacia de Mulheres de Vespasiano e já existe inquérito aber

to e investigação da Polícia Civil.

Em conteúdo exclusivo, uma testemunha que preferiu não se identificar relatou o que a vítima teria falado em seu depoimento:

“Ao se dirigir ao Secretário de Defesa Social para apresentar um ofício solicitado, o mesmo a chamou de BURRA, IMBECIL e LIXO. Afirmando que ela não sabia trabalhar. A vítima, perguntou ao mesmo, se queria que refizesse o ofício e WILLIAN SOARES, novamente proferiu palavras de baixo calão. O mesmo pediu para que a vítima se aproximasse para ler o ofício novamente, e o mesmo a apertou pela cintura e mordeu seus seios. William gritou com a vítima afirmando que ela iria conhecer um homem de verdade. A vítima então empurrou William Soares e correu. Muito nervosa disse ter voltado para casa e não retornado ao trabalho, pois estava em estado de choque”.

Em nota, a Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) informou que uma mulher procurou a Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher em Vespasiano para denunciar que foi vítima de um assédio sexual praticado supostamente pelo secretário de Defesa Social de Vespasiano.

De imediato, foi instaurado procedimento investigativo, sendo a vítima prontamente ouvida. A PCMG esclarece que a equipe policial iniciou as diligências investigativas, a fim de qualificar possíveis testemunhas e apurar a existência de outras possíveis vítimas. A investigação encontra-se em andamento e em sigilo. Informações serão prestadas em momento oportuno. Os dois já prestaram depoimento na delegacia da mulher.

Também em nota seu sua rede social, Wilian Soares afirma que, ao tomar conhecimento do fato, o mesmo foi até o 36º Batalhão da PM e registrou uma ocorrência e que somente após a sua denúncia a vítima orientada por um pré-candidato a vereador procurou a delegacia.

Até o momento a Prefeitura de Vespasiano e a prefeita Ilce Rocha não se manifestaram sobre o episódio. Nossa redação entrou em contato com a Comunicação da Prefeitura, mas ainda não obteve resposta. O espaço continua aberto para manifestação das partes. O Secretário não foi afastado e permanece no cargo exercendo suas funções.

 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários